A “INDÚSTRIA AMERICANA” PODERIA ESTAR EM MUITOS LUGARES

A “INDÚSTRIA AMERICANA” PODERIA ESTAR EM MUITOS LUGARES

O filme “Indústria Americana”, ganhador do prêmio Oscar de 2020 de melhor documentário, é um retrato agudo das pressões sofridas pelos trabalhadores em todo o mundo.

O filme começa retratando o fechamento da fábrica de automóveis da General Motors, na cidade de Dayton, Ohio, nos Estados Unidos, em 2008.
Dois anos depois é instalada no mesmo local a fábrica chinesa Fuyao, produtora de vidros para carros. Ex-trabalhadores na GM são contratados pela empresa chinesa com metade do salário anterior.

Cerca de 10% dos trabalhadores na fábrica são chineses. A rotina de trabalho logo veio à tona: longas horas de trabalho, líderes autoritários, rígida disciplina, poucas folgas no mês, restrições à organização sindical, obrigatoriedade de horas extras, problemas de saúde e segurança
no trabalho, além dos baixos salários.

Um dos momentos de maior tensão no filme é quando um grupo de trabalhadores tentou trazer o sindicato para representá-los. A gerência, por sua vez,
contratou uma consultoria em recursos humanos para convencer seus funcionários a não se filiarem ao sindicato. O sindicato é derrotado pelo medo e
a vulnerabilidade social dos trabalhadores, que enfraquece a coesão social e alimenta a insegurança. Nesse sentido, o chamamento para a união de todos os trabalhadores do mundo nunca foi tão necessária, como podemos ver no filme.

Fonte: SMABC

Posts